Mercado de controles de acesso segue em franca expansão

Mercado de controles de acesso segue em franca expansão

Pesquisas de mercado sinalizam que os negócios envolvendo controles de acesso seguem em franca expansão em 2020. A situação conjuntural inédita propiciada pela pandemia do novo coronavírus trouxe a necessidade de reposicionamento das marcas, mas não impediu avanços nos quesitos inovação, design e arquitetura. 

A maré positiva já vinha se desenhando nos anos anteriores, o que impediu um baque expressivo em 2020.

Nos últimos anos, CEOs de grandes empresas de segurança e controle de acesso vêm admitindo que o mercado está em ótima fase, movido sobretudo por questões ligadas à necessidade de automação das empresas, às cidades inteligentes, à maior capilaridade da internet por causa da tecnologia 5G, entre outros fatores. O único segmento cujo crescimento ainda é tímido – mas com viés de alta – é o de controle de acesso em casas inteligentes.

A pesquisa SDM 2020, um dos mais conceituados painéis do segmento, pesquisou entre gestores de empresas norte-americanas: como você avalia o estado de mercado dos controladores de acesso? 

Mais da metade dos entrevistados (54%) respondeu o que mercado, em 2019, estava excelente, contra 62% no ano anterior. O porcentual de “bom” subiu de 22% para 33% e aqueles que consideravam o mercado fraco passaram de 16% para 14%.

Este otimismo prevalecia, claro, antes da pandemia de coronavírus, o que fez arrefecer as projeções mais entusiasmadas com 2020. Mas o mercado ainda não tem grandes motivos para mudar de vez o humor – salvo as preocupações inerentes com as questões de saúde e macroeconômicas.

De um modo geral, sobretudo no mundo corporativo, os controladores de acesso deixaram de ser um item adicional.

Além da questão mais óbvia – ligada à segurança – há outras razões para este crescimento. A possibilidade de melhorar as condições de trabalho dentro dos ambientes empresariais e as constantes inovações do setor chamam a atenção para novos dispositivos – que podem inclusive auxiliar em períodos de restrição como o da pandemia.

Controles de acesso

Controladores de acesso podem servir, por exemplo, como limitadores de entrada e saída em estabelecimentos que precisam monitorar a quantidade de pessoas que acessam o espaço simultaneamente – uma premissa básica da retomada econômica em determinados estabelecimentos.

Associados a softwares de monitoramento, também podem sinalizar o perfil de uso dos espaços, ajudando gestores a distribuir melhor horários de funcionamento, jornadas e intervalos, com o objetivo de evitar aglomerações.

Big data

Do ponto de vista das inovações em arquitetura da informação, o display com controle mediante biometria e cartões de proximidade ganha novos componentes, como a possibilidade de armazenamento de dados em nuvem, acionamento remoto, acionamento em caso de pânico e associação com outras funcionalidades.

Basta lembrar que uma das premissas da internet 5G é a maior capacidade de tráfego de dados, o que poderá impulsionar de vez a chamada internet das coisas (IoT). Uma das possibilidades é que os controladores de acesso funcionem como cérebros das residências, que além de substituir as convencionais chaves, também se interligam com outros dispositivos eletroeletrônicos dentro das residências.

O que move estas inovações é a resposta à seguinte pergunta: o que uma pessoa que investiu recursos em controladores de acesso deve fazer para que os equipamentos funcionem a seu favor?

Os clientes preferenciais dessas empresas andam se perguntando isso, e também estão interessados em armazenamento de dados em nuvem, automação e digitalização, internet das coisas, integração com outras máquinas inteligentes, inteligência artificial e serviços mediados por dispositivos móveis.

No Brasil, a Control iD é de longe a empresa que mais investe em inovação e capacitação de seu grupo de pesquisa e desenvolvimento  e engenharia.

Ao mesmo tempo em que a linha de produtos de controles de acesso oferecidos já é a mais adaptada aos interesses do mercado, outros projetos estão prestes a sair do papel, já sintonizados com as demandas residenciais, comerciais, empresariais e industriais que emergirão no pós-crise.

Além de assegurar o controle por dados biométricos com o suporte de softwares próprios, os controladores ainda são capazes de monitorar e autorizar entradas e saídas em dias e horários específicos, bem como ser controlados de maneira remota e desterritorializada. 

Inovação em produtos, processos e serviços que garante maior confiabilidade e segurança – preparando, no segmento dos controles de acesso, uma retomada vigorosa quando tudo isso passar.

Comentários

Cadastre-se e receba nossas novidades