QR Code é aliado adicional no controle de acesso

QR Code é aliado adicional no controle de acesso

Disseminado em aplicativos para realizar uma grande variedade de serviços, o QR Code agora vem sendo adotado para ampliar os mecanismos de controle de acesso a condomínios e outros espaços com entrada e saída monitorada, como empresas e estacionamentos.

Quem mora em prédios já está acostumado a informar os dados de visitantes e hóspedes para conseguir franquear a entrada de não-moradores. Muitas vezes, o proprietário do imóvel precisa se deslocar à portaria para fazer esta liberação ou mandar os dados previamente para a administradora do condomínio.

Ao chegar no prédio, a visita ou o hóspede precisam informar novamente os dados e, não raramente, fornecer um documento original com foto. 

Embora absolutamente necessária, a medida cria constrangimentos de natureza ética, uma vez que a privacidade do morador e do visitante é colocada em xeque.

O QR Code elimina parte deste problema.

Pode entrar

Funciona assim: o proprietário do imóvel fornece os dados previamente à administradora do condomínio, que envia um QR Code para o celular do visitante por email, SMS ou WhatsApp. Neste código estão contidas as informações da visita: data e hora previstas, período de estadia, dados do veículo, etc.

Ao chegar no local, o visitante exibe o QR Code em um leitor instalado na portaria, porta, cancela ou catraca, que reconhece o código e libera a entrada.

Caso o visitante chegue em dias e horários não combinados, a entrada não é liberada, garantindo assim a segurança do procedimento.

Empresas e serviços

No mundo corporativo, o QR Code pode funcionar como um cartão de identificação do colaborador. Ao chegar para o trabalho, o funcionário exibe o código e a entrada é liberada. De quebra, o “ponto” também é registrado, marcando os horários de entrada e saída.

O uso do QR Code em serviços é ainda mais comum. Bilhetes do transporte coletivo, em algumas cidades, são emitidos com esta tecnologia em totens e outros terminais de autoatendimento. Ao passar pela catraca, basta exibir o código que a entrada é liberada.

Este tipo de sinal bidimensional também é adotado para compras, eliminando o uso de dinheiro em espécie e até de cartões. 

O varejista expõe o QR Code de cada produto (que pode ser fixo ou variável – no caso de itens a granel, por exemplo), e o comprador faz a leitura e já paga no serviço de pagamento que melhor lhe convém.

Não por menos, mais de 80% dos vendedores entrevistados em pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) e da AGP Pesquisas afirmaram, no fim do ano passado, que tinham interesse em adotar a tecnologia para aprimorar seus sistemas de venda.

Na segurança, na personalização de serviços, nos mecanismos de identificação e nas relações comerciais, o QR Code começa a ganhar protagonismo. Com cada vez mais frequência, os códigos bidimensionais ganharão de vez as telas de nossos celulares e tablets. 

Gostou dessa matéria? Então acesse nosso blog, são matérias diárias para manter você informado!

Comentários

Cadastre-se e receba nossas novidades